Destaque/ Cliping
Segunda-feira, 08 de Julho de 2019, 12h:14

Protesto

Servidores fazem paralisação de 72 horas após morte de agente e visitas devem ser suspensas em presídios de MT

Agente penitenciário foi morto a tiros no dia 30 de junho e 4 suspeitos foram presos. Sindicato diz que paralisação ocorre como luto pela morte do colega.

G1

Servidores do sistema penitenciário de Mato Grosso começaram uma paralisação de 72 horas a partir deste sábado (6) no estado. Segundo o Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen), a paralisação ocorre como luto pela morte do agente penitenciário Elison Douglas da Silva, de 37 anos.  

Assessoria Sindspen-MT

Protesto de 72 horas

Servidores fazem paralisação de 72 horas após morte de agente e visitas devem ser suspensas em presídios de Mato Grosso — Foto: Sindspen/MT.

Elison foi assassinado no domingo (30) em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá, em uma emboscada quando ele chegava em casa. De acordo com o Sindspen, a paralisação vai até a madrugada de segunda-feira (9).

O ato foi aprovado em assembleia com os servidores.

O sindicato diz que, com a paralisação, as visitas nos presídios de Mato Grosso devem ser suspensas durante os três dias.  

Mato Grosso tem 54 unidades prisionais. As visitas não devem ocorrer até nas maiores, como Penitenciária Central do Estado (PCE), Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC, antigo Carumbé) e Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto.

Durante a assembleia vários servidores se demostraram inconformados com a morte do colega e classificaram como uma 'falta de solidariedade por parte da secretaria com a categoria num momento de fragilidade e ataque a segurança pública do estado'.  

Veja a lista de atividades suspensas pelos servidores  

· Não haverá atendimento aos advogados;

· Não haverá atendimento aos oficiais de justiça, salvo alvará e mandado de prisão de réu preso;

· Não haverá visita;

·  Não haverá atividades educacionais, laborativas e religiosas;

·  Não haverá atendimento a pauta da justiça;

- não haverá atendimento a saúde, exceto urgência e emergência, como hemodiálise e outras avaliadas pelo médico ou equipe de saúde ou que tenha atendimento contínuo;

·  Não haverá recebimento de presos.

· Não haverá saída de preso, para trabalho externo;

· Os agentes de plantão não vão receber presos de outras unidades ou de delegacias;

· Não haverá escolta

 

Morte do agente

Quatro homens teriam se aproximado dele no momento em que ele chegava em uma residência.

A casa pertence à Elison e está em reforma. A vítima estaria de folga no momento do assassinato. Elison morava em outra casa com a mulher e o filho dele. A casa onde ele foi morto está em reforma. Conforme a Polícia Civil, ele tinha costume de passar pelo local para buscar ou deixar algum material para a obra.

Elison trabalhava no Centro de Detenção Provisório (CDP) de Lucas do Rio Verde. Um adolescente de 15 anos e três jovens foram detidos na segunda-feira (1º) suspeitos de participação no assassinato do agente. Detido por suposto envolvimento na morte de um agente penitenciário, o adolescente de 15 anos teria participado de outros três homicídios, segundo a Polícia Civil.  

Comentários









COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.