Imprensa
Segunda-feira, 09 de Setembro de 2019, 21h:57

Ressocialização

Sob a direção do agente penitenciário Winkler de Freitas, CRC dá exemplo de ressocialização de presos em MT

Assessoria de Imprensa Sindspen/MT
imprensasindspenmt@gmail.com

Assessoria

CRC

Vista do CRC de cima da torre de segurança que está sendo construída

Considerado corredor da morte na década de 90, com valas para jogar presos que eram espancados e até cela da tortura, hoje o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo presídio do Carumbé, está escrevendo uma nova história diante do processo de ressocialização, implanto com muita dedicação pelo então diretor e agente penitenciário, Winkler de Freitas Teles em parceria com os servidores, prefeitura de Cuiabá, Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Estado de MT (ACOMAC) e outras empresas parcerias.

Visitando a unidade, os diretores do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen/MT), Jacira Maria da Costa (Presidente), Arthur Rodrigues (Financeiro), Antônio Júlio Rodrigues (Secretário Geral) e Jorge Moraes (Diretor de Esportes), por algumas horas acompanharam e conheceram as diversas frente de trabalho existentes dentro da unidade, todas idealizadas pelo diretor, que tem buscado parcerias para que os trabalhos sejam tocados e garantam rendimento para os reeducandos que estão envolvidos no projeto.

Assessoria Sindspen/MT

crc

Diretores do Sindspen/MT e servidores lotados no CRC

No CRC, a realidade intramuros difere bastante do antigo presídio fundado na década de 70, que em abril de 1989 registrou a maior e mais sangrenta rebelião do sistema prisional, com 10 mortos, sendo oito detentos e dois policiais, além de 32 feridos, hoje ao andar pelas dependências pode ser contemplado um espaço de oportunidades para aqueles que almejam ter um futuro diferente, pois conforme o diretor, atualmente mais de  100 recuperandos está tendo oportunidade de se qualificar nas mais diversas categorias, ao todo são 23 frentes de trabalho, entre elas: Marcenaria, fábrica de cadeiras, horta, serralheria, lavanderia, costura, fábrica de garrafas térmicas e copo de chifre de boi (tereré), artesanato, padeiro, crochê, fábrica de blocos e muitos mais.

Assessoria

CRC

 Reeducando, realizando trabalho de entalho em madeira


 

Antes de conhecer os projetos desenvolvidos, a equipe de diretores visitaram as dependências da unidade, onde a presidente ficou admirada em ver a mudança e transformação, “ali está sendo realizado um excelente trabalho, tanto para os recuperando quanto para os servidores, um espaço remodelado e agradável para que os servidores possam descansar ao finalizar a sua função, com cadeiras confortáveis, espaço para refletir e até mesmo buscar se conectar com Deus, já que a direção colocou ali uma espécie de santuário”.

As salas para atendimento psicológico, assistência social, direção, refeitório, sala de enfermagem, odontológica, sala de atendimento médico, setor jurídico e demais salas estão passando ou já passaram por reforma para oferecer um melhor atendimento e espaço mais digno dos servidores, todas as adequações só foram possíveis devido às parcerias e mão de obra dos reeducando, que em troca recebem a remissão de pena.

Assessoria Sindspen/MT

CRC

Arquivo penal

Uma das salas que chamou a atenção dos diretores foi a de arquivo penal, aonde após um intenso trabalho toda a parte de arquivo de presos foram resgatadas e armazenadas por nome e ano em que estiveram reclusos, “Um arquivo de mais de 30 anos de história temos aqui, tudo que precisar saber de algum preso que já passou por aqui temos, são 40 mil pastas”, frisa o diretor.

Alguns projetos ainda vão começar, como a horta hidroponica, que consiste em uma técnica de cultivar plantas sem solo, onde as raízes recebem solução  nutritiva balanceada com todos os nutrientes necessários, a instalação já está pronta e na próxima semana os trabalhos já devem começar com as instruções de um biólogo parceiro que irá instruir os reeducandos. Orgulhoso de tudo que vem sendo desenvolvido, Winkler destacou três pilares, a participação e apoio dos servidores e a mão de obra dos reeducandos e a parceria com empresas que disponibilizam os insumos e materiais para a confecção dos produtos, como a fabricação de blocos, que é uma parceria com a Secretaria de Infraestrutura Municipal e também a parceria com a Secretaria de Saúde de Várzea Grande que tem destinado medicamentos para atendimento do setor de saúde.

Assessoria

CRC

Trabalho realizado na marcenia, confeção de vário tipos de móveis

Os servidores da enfermagem pontuaram a presidente que hoje a maior dificuldade é quanto aos medicamentos e materiais para a sala de curativo e que se não fosse à associação de servidores, a  situação estaria pior, já que o diretor faz o que pode, às vezes até milagre para atender as necessidades do setor da saúde.

As duas novas torres de segurança que está sendo construída irá trazer mais segurança aos servidores, pois ela é feita de pré-moldado, será um espaço de 5x5, climatizado, utilizando mão de obra dos reeducandos. “São muitos os trabalhos que nos encheram os olhos, a horta e o artesanato me chamaram atenção, pois demandam um senso criativo e cuidados manuais, por isso me chamou muito atenção, os cuidados com a horta, tudo mantido de forma orgânica, saudável onde as hortaliças são doadas semanalmente para o Lar das Crianças”, frisa Jacira.

Crochetando Esperança

Assessoria

CRC

 Artesanatos do Projeto Crochetando Sonhos

Linhas, produção e criatividade, fazem parte do dia a dia dos reeducandos que participam do Projeto, sob a coordenação de psicólogas, eles passam o dia entre linhas e pontos produzindo os mais diversos tipos de artesanato, entre eles almofadas, tapetes, vestidos, roupas de banho, bonecas e muitos outros projetos decorativos.

As bonecas vão ser confeccionadas em homenagem as meninas que estão em tratamento no hospital do câncer de Mato Grosso, conforme informação das responsáveis pelo projeto, será realizado levantamentos de quantas meninas estão em tratamento e nome delas, para a confecção das bonecas personalizadas.

Horta

São três pontos de horta, duas já em pleno vapor e uma ainda em inicio de trabalho, sem contar a horta hidropônica que está em andamento e irá movimentar a produção em 100 pés de alface por dia. Para a manutenção são destinados reeducandos que ficam responsáveis para cuidar, plantar, irrigar, fazer a manutenção de limpeza, molhar, preparar o adubo que é natural, fabricado com resto de comida selecionado e sobra de madeira.

As hortaliças são utilizadas para consumo na unidade e também doadas para instituições beneficentes. Além de todos esses trabalhos, ainda sobra espaço para a arte musical, o gosto apurado pela musica levou o diretor a pensar em uma banda musical, foi então que começou a testar as habilidades dos reeducandos e então formou uma banda, carinhosamente chamada Banda Musical, CRC Show, composta por três vozes, entre eles o Paulo, que tem uma história tocante de reencontro com Deus dentro da prisão e até escreveu uma letra musical (Kairós-tempo com Deus), a musica conta a sua história.

Na sala de costura, está tudo montado, faltam apenas as professoras para ministrar as aulas aos reeducando, e esse dia já está chegando, já que uma parceria firmada com o projeto Siminina vai possibilitar mais esse avanço. Temos aqui tudo que os reeducandos precisam para trilhar outro caminho”, pontua Winkler.

Os diretores terminaram a visita maravilhados com tudo que puderam presenciar, a alegria dos reeducandos envolvidos nas muitas frente de trabalho, a integração dos servidores e do diretor e acima de tudo a dedicação com que todos desenvolvem os trabalhos.

"Temos ainda  350 reeducandos estudando, nos periodos  matutino, vespertino e noturno. Aproximadamente quase 500 trabalhando interno no interior na unidade, dentre trabalhos e cursos, em diversos setores e mais de 100 reeducandos trabalhando extramuros. Em diversas secretarias de estado, além de delegacias de Polícia e Batalhões da PM. Estamos esperando um curso superior da IFMT Para a Unidade", pontua Freitas. 

Nossa visita foi muito produtiva, pudemos visualizar de perto o trabalho de ressocialização que vem sendo realizado pela direção e constatamos que realmente é um trabalho maravilhoso, espetacular e de extrema importância para os apenados, que ganham de todas as formas, aprendem uma profissão, ganham por isso e ainda recebem remissão de sua pena. A direção está de parabéns, é visível as mudanças na unidade, um local onde era para ser sombrio, foi transformado em algo prazeroso de se estar e visitar. Parabéns a todos os envolvidos e ao Winkler pela dedicação e amor que pudemos sentir ao falar e mostrar os trabalhos” finaliza Jacira.  

 

Comentários









COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.